Podcast Podcast 009 - Teorias Furadas, Ricardo Teixeira e Futebol

Publicado em 13 de julho de 2011 | por Equipe IDP

6

Podcast #009 – Teorias Furadas, Ricardo Teixeira e Futebol

Podcast #009 - Teorias Furadas, Ricardo Teixeira e Futebol

Todo mundo sabe que o Ricardo Teixeira é um mafioso escroto no comando da CBF. No cast de hoje aproveitamos a ausência dos nerds preguiçosos e comentamos o falta de qualidade do futebol brasileiro e a nossa corrupção de alta qualidade. Tem mais coisa, mas ouve e aí, clica nos links, comenta e não enche o saco.

E COMENTA PORRA!

Reproduzir

O que rolou no episódio

Participantes

Carlos Gomes, César Liedke, Egg, Ricardo Teixeira e Vítor Padilha

Assine o podcast

[RSS] Assine o podcast no FeedBurner
[iTunes] Assine o podcast no iTunes

Mete a boca

Envie suas críticas, comentários e/ou sugestões para:
issodavaumpodcast@issodavaumpodcast.com.br
ou utilize os canais abaixo:

[Facebook] Curta nosso podcast no Facebook
[Twitter] Receba as atualizções através do Twitter


Sobre o Autor

Humor nonsense regado a Heinekens e Corujas.



6 Responses to Podcast #009 – Teorias Furadas, Ricardo Teixeira e Futebol

  1. Marie says:

    Ah, me orgulho taaaaaanto de vocês!!!!!

  2. Ricardo says:

    aaaaaaaaaa uma ouvinte! que emoçãaaaaao!

    Prazer Ricardo Teixeira! Não sou o próprio, mas quando bebo me sinto dono de tudo tb!

  3. Verme says:

    Primeiro que vejo falando algo sobre um negócio que eu sempre falo, que é a luta armada pra acabar com a canalhice política.
    Não entendi o comentário sobre “não ser bem assim”. É assim, sim.

    • Nós somos a nação mais bunda-mole do mundo.
      Na história do mundo, as nações pacíficas sempre foram aniquiladas por civilizações agressivas.
      Esse “não é bem assim” é só o reflexo da ingênuidade de que a solução dos problemas está no debate sensato, tomando cházinho de camomila. (Mais polêmico que MAMILOS!)
      CPI é que resolve, né senhores…

      “Não existe argumento contra a ignorância.
      Tente refutar um soco na cara.”
      Padilha, 2007

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Para o Topo ↑