Coisas Legais Assassinos são nascidos na batalha

Publicado em 23 de setembro de 2012 | por André Rocha

4

Assassinos são nascidos na batalha


O começo:

Era só mais um dia de trabalho lá em 2003, eu era um estagiário me prostituindo por alguns trocados. Mal sabia eu que daquele dia em diante minha vida musical mudaria pra sempre. Foi o dia em que um CD apareceu das mãos de um amigo, ele disse “ah tem duas bandas aí, da uma ouvida”.
Hot Fuss Do Rah

A trajetória (com certeza incorreta) da maior banda da atualidade através do meu ponto de vista.

Nada demais até então, mas o que estava lá dentro era “Hot Fuss”, o primeiro CD do “The Killers” e desde então tudo soou mais sintetizado, mais legal, mais vivo… (GAAAAAAAAYYY).

De a segunda e a terceira chance:
The Killers é música para ser digerida, eu não estou falando de “Somebody told me” ou qualquer música deles que tenha tocado no rádio, estou falando das outras oitenta e tantas músicas que compõe o seu repertório, são músicas que precisam ser ouvidas três ou quatro vezes para percebermos o seu alcance, e elas vão te acertar na alma.
Sams Town

…são músicas que precisam ser ouvidas três ou quatro vezes para percebermos o seu alcance, e elas vão te acertar na alma.

Desde o seu segundo CD foi assim, lembro bem de ter dado play no “Sam’s Town” e pensar “será que eu estava enganado e essa vai ser mais uma banda de um CD só?” , mas aí vieram a segunda e terceira ouvida e com elas a sensação de “não, eles ainda estão aqui”. E assim os anos foram se passando, vieram “SawDust”, “Day & Age” e nem sequer uma decepção…

Surpresas agradáveis:
Neste momento da minha vida eu já tinha meus ídolos, e eles estavam sempre ali nas minhas play lists.
Albert Hall

Limpando a sua bunda com seda…

Mas aí esse cidadão chamado Brandon Flowers (vocalista e líder do Killers), que tem uma voz que soa – como diria o Merovingian – “limpar a bunda com seda”, aparece regravando Dire Straits “Romeo and Juliet”, cantando “Thunder Road” com Bruce Springsteen, gravando Morrissey “Why don’t you find out for yourself”, trocando de visual como o David Bowie (claro que mantendo a normalidade heheh) e a cada aparição/gravação dessas me deixando mais feliz por presenciar a sua era ao invés de viver da nostalgia dos grandes músicos do passado.
The killers é a banda que vou mostrar pros meus filhos e dizer “eu vivi isso meu filho”.

Carreira Solo?
Em 2010 tivemos “Flamingo”, o CD solo de Brandon Flowers, simplesmente fantástico, um pouco mais calmo com pouca ou nenhuma influencia eletrônica.
Brandon

Cd Solo e rumores do fim da banda

Houve um barulho dizendo que o Killers iria acabar, mas nada confirmado.

Mais surpresas:
O post começa a ficar looooongo, mas assim como o DVD do Killers demorou para sair, assim aconteceu com o post. Ainda há os especiais de Natal “Don’t Shoot me Santa Claus”, A Big Great Sled”, “Joseph better you than me”, a “trilogia da morte” composta por “Leave the bourbon on the Shelf”, “Midnight Show” e “Jenny was a friend of mine” (ouça na sequencia e surpreenda-se).

Nascido na Batalha:
Ta bom, agora pra acabar, “Battle Born”, o último CD que está aí há alguns dias e já possuiu a minha cabeça.

Muitas pessoas vem dizendo se tratar de “The Brandons” e não “The Killers”, referenciando à sonoridade de “Flamingo” mas está tudo ali!! O sintetizador, as letras fantásticas e as explosões pré refrão que te fazem arrepiar.
Temos a apresentação do Itunes Festival e o show dirigido Werner Herzog realizado em 18/09 em Nova Iorque para mostrar o quão Killers é esse disco.

Então ouça uma, duas, três vezes e comente aí embaixo, não haverá retaliação por que aqui até as críticas dão um PodCast.

Abraço Pessoal, GO KILLERS!!!


Sobre o Autor

Comentários Ácidos fantasiado de Dercy.



4 Responses to Assassinos são nascidos na batalha

  1. É cara, ainda espero o show deles aqui pelos pampas…
    =/

  2. André Rocha says:

    Quando formos ricos, trazemos eles.

  3. Voto says:

    Killers é mesmo tudo isso. Me arrisco a dizer que se tivessem vindo ao mundo, gravado somente um album, Live From The Royal Albert Hall – 2009, e voltado pro planeta de onde vieram, ainda assim seriam uma das bandas mais fodas que já tive o prazer de conhecer. Cya!

  4. Deborah says:

    cara, eu conheci The Killers nas ferias enquanto estava no maior tedio e procurando por bandas para conhecer e então, na mesma hora que ouvi The Killers, me viciei. e me tornei mtmtmtmttmmtmtmtmtmtmtmt fã dessa banda perfeita e maravilhosa!!!!! e, atualmente, é uma de minhas bandas preferidas! eu até me surpreendi por estar gostando de uma banda tão calma mas é uma banda tão perfeita… não tem como ouvir e não se viciar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Para o Topo ↑